>> sexta-feira, 23 de outubro de 2009


"Eu quero uma casa no campo..." Mas, com estilo, por favor!

A casa da Designer de Interiores Karina Arruda em Cotia, SP, construída com materiais de demolição, é a prova viva de que dá pra fazer coisas muito interessantes com materiais reutilizados, mobiliário garimpado de outras décadas e cores, muitas cores!



Inspirada pelas listras das mantas aguaio, usadas para carregar bebês na Bolívia, Karina se inspirou na hora de decorar sua "casinha caipira". Na construção, materiais de demolição, como as janelas pintadas de branco por fora e azul por dentro. A cor escolhida para a fachada foi o verde-cítrico-limão, da Coral. Jarrinhos pendurados, samambaias e mesas de ferro da varanda, pintadas com tinta automotiva, dão uma breve idéia do que se verá pela frente, ao entrar na casa.



Na sala, as paredes pintadas de rosa claro, poltrona de vinil dos anos 60 e o sofá ameba dos anos 50, decorados com almofadas, da Empório Beraldin e mantas listradas de aguaio, alegram o ambiente "descombinandinho". As louças de chá antigas - que a gente vive aconselhando aqui: use e abuse -, fazem bonito na decoração e dão personalidade ao ambiente.




Minha maior paixão, o coração de toda casa, a cozinha, tem paredes pintadas na cor vermelho-pimentão, da Coral, armário de aço verde-claro, dos anos 50, mesa de fórmica lilás, dos anos 60 e cadeiras antigas, restauradas pelo Estúdio Glória. Pinturas psicodélicas, flores e arabescos, na pintura feita por Isabel Morse e Claudia Justo e quadro da artista Regina Kioko. Mais graça na janela de vidraça de demolição, vasinhos de louça com temperos, e filtro de louça, na bancada de alvenaria, toda revestida de azulejos. Nas fotos, a gente pode quase sentir o cheiro de bolo de cenoura saindo do forno...



Cores, sim, mas de menor intensidade nos quartos. No quarto das crianças, as paredes foram pintadas de branco e ganharam desenhos que imitam as tramas da renda nordestina, também feitas por Isabel Morse e Claudia Justo. As cabeceiras antigas e o criado-mudo ganharam nova vida com a pátina do Estúdio Glória. Aqui, as cores aparecem nas colchas de quilt e almofadas com tecidos da Designer Guild, encontradas na Empório Beraldin. Já no seu quarto, Karina fez um canto para leitura com poltrona dos anos 50, revestida com tecido da Formatex (lembra? a loja fechou, mas ainda se pode encontrar fornecedores com os tecidos vendidos lá). Um "guarda-vestido" - como dizia minha avó -, dos anos 40, foi renovado com pintura bege, verde e dourado. A mesa lateral de ferro recebeu pintura automotiva e o vaso maravilhoso, bem como as luminárias (da foto à esquerda) só poderiam ser, claro, da Coisas da Doris.


Fonte: Imagens de Marcelo Magnani para Casa & Jardim


1 comentários:

Maura 23 de outubro de 2009 11:06  

Eu tb quero!!!!
Adoro casas de campo!
Tenha um final de semana abençoado!
Ah! Conto com seu votinho na promo que estou participanho:
http://www.meujeitoramarim.com.br/perfil.php?PessoaID=MzIyMg==
Obrigada!
Maura
coisasdamaura.blogspot.com